segunda-feira, novembro 10

O Saber se Multiplicará...

“Tu, porém, Daniel, encerra as palavras e sela o livro, até ao tempo do fim; muitos o esquadrinharão, e o saber se multiplicará”. (Dn 12.4)
Será que alguém, verdadeiramente, tentou analisar este versículo dentro do contexto de Daniel, ao invés de relacioná-lo a questão do aumento dos recursos tecnológicos que crescem, assustadoramente, em nossos dias?
Bem poucos fizeram isto, mas, no todo, são homens centrados na palavra de Deus que a analisam com temor e tremor, e acabam elucidando as questões que são de difícil entendimento para nós. Portanto, após pesquisá-los e retirar deles o conhecimento, publico meu parecer sobre o que encontrei:
De maneira nenhuma Daniel está se referindo ao aumento constante do conhecimento tecnológico. O grande problema de analisar os textos desta forma, é que estamos procurando textos bíblicos que se adéqüem ao que nossos olhos vêem, quando deveria ocorrer o contrário, os nossos olhos vêem o que os textos bíblicos dizem, para que verdadeiramente afirmássemos como bíblico o que está ocorrendo.
Convido-o a uma análise prática do texto em questão!
- O Livro de Daniel refere-se, em grande parte, aos acontecimentos futuros relacionados, diretamente, com Israel. E esta passagem não é diferente;
- O Capítulo 12 inicia contextualizando o ouvinte no tempo onde estes fatos ocorrem. Período identificado como grande tribulação, ou bem próximo dele, mas para minimizar qualquer erro, vamos trabalhar com o período total da tribulação e não somente os últimos três anos e meio.
Uma vez identificado o período, não posso dizer que o cumprimento deste versículo se encaixa em nosso tempo, pois estamos no período das Igrejas e não no período da tribulação. Portanto, cai por terra qualquer análise que vise identificar o cumprimento profético deste versículo em nossos dias. Tais tentativas tendem a gerar heresias, ou ainda, no mínimo, interpretações equivocadas;
O melhor modo de entender o versículo 4 do capítulo 12 de Daniel é lê-lo de forma literal e dentro do contexto especificado por seu autor.
“Tu, porém, Daniel, encerra as palavras e sela o livro, até ao tempo do fim; muitos o esquadrinharão, e o saber se multiplicará”.
Lendo-o dessa forma, é possível identificar que não foi dado a Daniel o entendimento daquilo que escreveu, nem a ele nem a nenhum de seus contemporâneos judeus, pois o livro foi selado até o tempo do fim. O que se presume com isso é que ninguém poderia interpretá-lo.
Se você crê que a Igreja tomou o lugar de Israel, o que acabei de dizer está lhe dando um nó na cabeça e com toda a razão, pois ainda há pouco disse que o livro estava selado até o tempo do fim e afirmo que, este, ainda não chegou. Tal afirmação causa um profundo conflito no ramo da Igreja que crê na Teologia da Substituição, mas para aqueles que crêem que Israel é Israel e Igreja é Igreja, tal afirmação é bastante precisa e elucidativa, pois corroboram com Ap 22.10 que é escrito para a Igreja, onde é dito que o livro não está selado para nenhum daqueles que fazem parte da Igreja de Cristo, o que nos permite entender os fatos nele descritos, e ainda, a existência de dois grupos: Israel de Deus, a quem os fatos futuros estão selados até o tempo do fim, motivo pelo qual não compreenderam que o livro de Daniel dava a data exata da entrada do Messias em Jerusalém, e por isso, perderam a oportunidade de sua visitação, contudo, o outro grupo, chamado de Igreja, possui entendimento sobre todas as coisas e por isso, lhe é ordenado não cessar de falar, conforme podemos verificar no texto citado de apocalipse.
Então a quem o texto de refere? Aos judeus! A Israel! Eles somente terão entendimento deste livro quando estiverem vivenciando “o tempo do fim”, conforme o próprio versículo afirma. O texto afirma que neste período (tribulação ou, se preferir, tempo da angústia de Jacó), muitos [de Israel] esquadrinharão o livro, e o saber lhes será aberto. Lerão o livro e entenderão todas as coisas que estavam seladas a Daniel e seus contemporâneos, como por exemplo, quem é o verdadeiro salvador e o que acontecerá até que ele venha para resgatá-los, e este saber se multiplicará por toda a terra.
Baseado nestas colocações, podemos alegar uma simetria entre as coisas até agora narradas e a pregação que existirá nos tempos do fim, feita pelos judeus que, finalmente, entenderão e se posicionaram de forma audaciosa pregando o evangelho!
A pregação dos 144.000, 12.000 de cada tribo de Israel, que se levantarão para pregar o evangelho, corrobora com tudo o que foi dito acima, e ainda, mais uma vez, permite que entendamos que Israel é Israel e a Igreja é a Igreja, pois naquele tempo, pela ausência da Igreja Verdadeira que terá sido arrebatada ao encontro de Cristo nos ares antes do início da tribulação, serão eles a pregar o evangelho a todas as nações até que Ele venha!
Que este conhecimento/saber se multiplique!
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

4 comentários:

Anônimo disse...

"queria que tivesse alguma coisa a ver..."

O PENSADOR disse...

queria que tivesse alguma coisa a ver... com a lua, com o sol, com o horóscopo, com a tia luza, etc ? Dá próxima vez, que tal especificar o ponto em questão?

Um abraço...

Reinaldo de Araujo Lima disse...

Muito boa explicação! Infelizmente ouvimos esta interpretação errônea em muitos pulpitos!

Ricardo Inácio Dondoni disse...

Obrigado Reinaldo, Um grande abraço e fica com Deus...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...