quarta-feira, março 18

Amar ao próximo como a ti mesmo

Uma das várias interpretações equivocadas no corpo da Igreja é relacionada à passagem onde Cristo diz que devemos amar o nosso próximo como amamos a nós mesmos.
Há muito tempo atrás, havia uma compreensão quase inquestionável acerca do que Jesus afirmava. Os pastores e líderes da Igreja eram considerados homens capazes de interpretar as escrituras se, e somente se, estivessem sob a autoridade do Espírito Santo que os conduziam a toda a verdade.
Contudo, em nossa época a autoridade destes líderes é questionada e sua capacidade interpretativa das escrituras,revogada por uma geração de homens que se consideram capazes de discernir a complexidade da mente humana, analisando-a através de sua alegada ciência racional interpretativa.
Tudo isso causou uma ruptura com a interpretação costumeira desta passagem que atestava a expressão máxima do egoísmo humano. Fomos, divinamente, acusados de possuir um amor próprio acima do que deveríamos ter. Este é o alerta e não aquele que andam dizendo: que para amarmos o próximo, temos que aprender a amar a nós mesmos. Já sabemos amar a nós mesmos muito bem, pois cuidamos da nossa própria carne com maestria. Compramos roupa, nos vestimos, tomamos banho, usamos os melhores perfumes e fazemos uso de tudo que nos agrada e que é possível adquirir de tal forma que cada um cuida de si muito bem.
A cruz não nos convida a mantermos a prática do amor próprio. Ela fere o homem natural e expõe suas vísceras, anunciando o único caminho rumo à perfeição e salvação do homem, negar a si mesmo,..., que não é nada mais do que aniquilar o amor próprio.
Paulo é o homem que ouviu palavras inefáveis as quais não era lícito ao homem referir. Ele mesmo, em sua derradeira carta, as portas da morte, vislumbra o último período da Igreja Cristã sobre a face da terra. O prelúdio da grande apostasia que separaria o joio do trigo, os salvos dos perdidos. A lista dos homens que estarão vivendo naquela época, onde a falta de amor ao próximo é característica marcante, começa pela expressão exultada “amantes de si mesmos” (2ª Tm 3.2). Note que todas as características posteriores a esta expressão não são nada mais do que consequências da primeira, reflita uma por uma e verá que a ação essencial para a apostasia do homem está intimamente ligada a sermos amantes de nós mesmos.
O grande erro do homem começa na introspecção do amor ao invés da exteriorização dele e complementa-se na exteriorização da análise da sociedade pecaminosa ao invés de, resignado a refletir sobre sua própria condição, analisar introspectivamente seu próprio pecado. Introspecção no lugar da Exteriorização e vice-versa! Qual é o fruto desta sociedade que rejeitou a interpretação bíblica baseada na condução do Espírito Santo a toda a verdade? Qual é o resultado da nova interpretação técnica de doutores humanistas com PHD, os quais afirmam que acada homem não ama a si mesmo como convém? Qual é a conseqüência de sermos levados a raciocinar que não pensamos de si mesmos suficientemente? São elas, o esfriamento do verdadeiro amor, o aumento do amor próprio e a apostasia bíblica.
Cuidado com as interpretações atuais que negam a capacidade interpretativa da Igreja sobre os textos bíblicos, “Tendo cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo”. Tende cuidado para não aprimorar-se na arte de amar a si mesmo ao invés de amar ao próximo.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

14 comentários:

Gabriel RS disse...

Julgai todas as coisas retende o que é bom...

Flw mano!!!

O PENSADOR disse...

uma tarefa de todos nós... flw

Ana disse...

amado irmão em cristo
Essa mensagem me ajudou muito
a ter as respostas
certas para defesa da minha fé
nesse aspecto, onde tenho sido bombardeada constantemente para ir contra o princípio do amor ao próximo.
Deus o abençõe!

O PENSADOR disse...

é sempre bom saber que o texto publicado foi de auxílio... Obrigado pelo comentário e fique a vontade para voltar mais vezes...

Cláudio Neto disse...

Parabéns pelo blog... Esta é a primeira vez que tenho acesso a ele e achei os textos que li até agora muito edificantes... Também é a primeira vez que vejo alguém analisar o mandamento de amar ao próximo segundo os preceitos bíblicos, ressaltando o "amor AO PRÓXIMO" e não "amor a nós mesmos"... Que Deus continue te usando na propagação do verdadeiro evangelho...

Abraços, no amor fraternal de Cristo...

Paulo disse...

Rapaz, que texto impressionante. Vai de encontro a tudo que é ensinado como certo nos dias de hoje. Meu Deus... Como demonstrar esse amor ao próximo nos dias de hoje?

O PENSADOR disse...

Caro Cláudio Neto,

Obrigado por seus comentários, como disse em comentário acima é sempre bom sabermos que aquilo que escrevemos pode ser de alguma valia.
Agradeço toda as felicitações e espero que goste dos demais textos também, muito embora, tenha certeza que o único que concordará com todos os meus posicionamentos é o meu próprio reflexo e se estiver de bom humor comigo, caso contrário ele mesmo encontrará algo para discordar, rs...

No mais meu amigo, julgue todas as coisas escritas aqui e em outros lugares e retenha o que for bom...

Um abraço...

O PENSADOR disse...

Meu amigo Paulo,
Demonstrar este amor ao próximo não é o mesmo que falar sobre ele ou expor as deficiências costumeiras da nossa própria geração.
No fim, tudo reside no fato de como analisamos as escrituras e o que buscamos nelas: Alento, benefícios, riquezas, prosperidade, ou o abençoador ?
Não que nenhum de nós gostaríamos de receber as primeiras, mas quando nosso objetivo torna-se Ele, conforme as próprias escrituras afirmam, todas as demais coisas são acrescentadas e, particularmente, creio que são acrescentadas a medida que verdadeiramente necessitamos delas.

Talvez a chave para demonstrar este amor esteja na tentativa de um posicionamento correto com relação a Deus e como consequencia, da elevação de nossa própria natureza pela ação do espírito, sermos motivados a olhar para o próximo como nunca olhamos anteriormente...

Anônimo disse...

ta chapado?

O PENSADOR disse...

Caríssimo anônimo,
É óbvio que não, ..., já pensou na impossibilidade de construir uma linha de raciocínio lógico, frase por frase, estando "chapado"?

No mais, você é livre para discordar e colocar seu posicionamento, explicitando o ponto de discordância, mas da forma como expõe, não expressa nada, nem ao menos a figura daquele que a expõe...

magro275 disse...

isto mesmo irmão! todos querem juntar tesouro onde a traça roe e o ladrão mina e rouba, mas se esquecem do único mandamento de Jesus que é o amor ao próximo que é caridade, defender a causa da viúva, do órfão e do necessitado.
só pensamos em frequentar templos e ficar cantando e dançando e chorando pra Deus, pensando que estamos agradando á ele, sendo que tudo que ele quer é que amemos uns aos outros.
esta passagem diz bem qual a importância da caridade, e como Deus se agrada com amor ao próximo:

Havia em Cesaréia um homem chamado Cornélio, centurião do regimento conhecido como Italiano.
Ele e toda a sua família eram piedosos e tementes a Deus; dava muitas esmolas ao povo e orava continuamente a Deus.
Certo dia, por volta das três horas da tarde, ele teve uma visão. Viu claramente um anjo de Deus que se aproximava dele e dizia: "Cornélio! "
Atemorizado, Cornélio olhou para ele e perguntou: "Que é, Senhor? " O anjo respondeu: "Suas orações e esmolas subiram como oferta memorial diante de Deus.
Agora, mande alguns homens a Jope para trazerem um certo Simão, também conhecido como Pedro,
que está hospedado na casa de Simão, o curtidor de couro, que fica perto do mar".
Depois que o anjo que lhe falou se foi, Cornélio chamou dois dos seus servos e um soldado piedoso dentre os seus auxiliares,
e, contando-lhes tudo o que tinha acontecido, enviou-os a Jope.
Atos 10:1-8

Williamqf disse...

Com relaçao ao amor.
Jesus diz para amar o próximo como a ti mesmo.
Como alguém pode amar o próximo se nao se ama?
E como alguém pode amar a Deus se não ama o próximo?

Acredito que a pessoa primeiro deve se amar mas não um amor egoista onde ela pensa somente nela.

Acredito que algumas patologias psicologicas como a depressão por exemplo pode influenciar a pessoa perder esse amor.
Assim como também o pecado. O pecado deixa a pessoa cada vez mais para baixo até chegar um certo ponto onde a pessoa nao terá mais aquela alegria, e começará perder a essencia, perderá esse amor com ela mesmo.

Isso é apenas uma opnião, fique avontade para corrigir.
Fica na paz!

leonardo disse...

È interessante essa discursao sobre este tema mas acho que o amor ao proximo e reflexo do nosso amor a Deus. Pois quem ama a Deus busca sempre mais intimidade Dele refletindo assim o amor de Deus para quem esta a nossa volta.E um circulo nao posso amar o proximo sem amar a Deus sem me amar.

Ricardo Inacio Dondoni disse...

Okay Leonardo! O texto não está preocupado em contestar este posicionamento, mas sim o fato de que temos sido levados a pensar que antes de colocarmos em prática o amor pelo próximo devemos aprender a amar a si mesmos.
No mais, obrigado pelos comentários que vieram a enriquecer a postagem abordando outra ótica da complexidade do tema...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...