segunda-feira, fevereiro 16

Crescimento! Sempre bem-vindo ou não?

Não há quem não anseie pelo crescimento do corpo de Cristo e , aliás, é óbvio que, sendo um corpo, ela irá crescer como qualquer corpo natural.
Se não há crescimento, existe algo de errado no corpo e isto pode ser fruto de alguma doença que esteja impedindo-a de crescer, ou ainda, podemos estar chamando algo que Deus não considera como Corpo de Cristo por este nome, esperando pelo crescimento deste ser amalgamado pelo homem ao invés da verdadeira igreja criada por Deus.
Vencidos os trâmites discricionários do termo em questão, vamos ao que interessa, pois há mais de uma maneira de adquirir crescimento, contudo apenas uma biblicamente correta, mas por regra, o presente século tem feito a igreja crescer de forma equivocada.
Existe um corpo, o qual chamam de Igreja. Ele cresce, constantemente, não pela pregação da palavra de Deus, mas pela pregação do que queremos ouvir, pela notoriedade dos pregadores, pelo Show visual, pela eloqüência das estrelas de púlpito, pelo emprego das técnicas de motivação e sucesso, pela assimilação da contracultura cristã, pela aquisição de bens e status, pela determinação de anseios e desejos inerentes a sociedade, pela afinidade sonora, pela extravagância templária e, ainda, pelo auto-suficiência humana.
Esta, a qual chamam de igreja, cresce, mas porquê? Para que? Para quem? Com que finalidade?
O que tenho visto e ouvidos em Igrejas como as descritas acima, me fazem questionar, se para esses ouvintes ainda há salvação, pois crêem que receberam a mensagem correta, sem nunca terem ouvido falar de pecado e arrependimento.
Tal tipo de crescimento é comum e inerente aos nossos dias, contudo duvido que este tipo de crescimento alcance a alma dos perdidos e acrescente uma única pessoa sequer no reino de Deus.
Sinceramente, espero estar redondamente errado, mas quando olho para a Bíblia e tudo o que ele afirma sobre a última geração da Igreja antes da grande apostasia, fico pensando o quão próximos do arrebatamento estamos, e, conseqüentemente, o quão próximo do retorno visível de Cristo.
Andamos como que cegos, em meio aos prelúdios da grande apostasia, sem preocupar-se em defender o evangelho.
Não são muitos a defendê-lo e não o serão, pois se fossem, as escrituras afirmariam que a grande apostasia nunca aconteceria, mas mesmo sendo impossível impedir o cumprimento da palavra profética de Deus, é importante que aqueles que estão acordados estejam motivados a salvar uma alma a mais por dia, enquanto há tempo, pois logo vêm, e não tarda, a sua volta! Trabalhemos enquanto é dia, pois logo vem a noite quando já não é mais possível trabalhar...
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

6 comentários:

Conexão disse...

olá amigo somo da Comunidade Evangélica Conexão em Fortaleza - Ceará, queríamos parabenizar pelo seu blog o conteúdo está muito bom parabéns.
Olha que Deus lhe abençoe, ficaríamos muito felizes se você podesse fazer uma visita em nosso blog, estaremos acompanhando o seu blog gostaríamos muito que ficasse como acompanhante do nosso.

Que Deus os abençoem...


Comunidade Conexão

O PENSADOR disse...

Pode deixar que estarei visitando o blog...

Ayanne Alves disse...

A paz do Senhor!

Como vemos, estamos passando por os ultimos dias da igreja na terra, a apostasia vem acontecendo infelismente... o que não podemos é parar com nosso trabalho missionario! ainda faltam muitos conhecer a Jesus!

Um Abraço! Deus nos abençoe.

O PENSADOR disse...

Vlw Ayanne, a idéia é esta mesma... Fazer enquanto há tempo...

Allan Ribeiro disse...

Ricardo,

Tem uma interpretação daquela parábola que Jesus contou sobre a igreja ser como um imenso pé de mostarda, com passarinhos fazendo ninhos entre seus ramos, que ajuda a entender essa situação desesperadora que você descreveu.

Chuck Missler diz que quem vai à Israel fica surpreso de perceber que a mostarda é um arbusto, que jamais cresce mais do que meio metro. Então o que Jesus estava dizendo é que a igreja teria um inchaço muito grande. Os passarinhos, que a gente pensa como uma coisa bonita, fazendo ninhos na árvore, Jesus os havia usado (na parábola do semeador)como ilustração para Satanás, que rouba a semente da Palavra que foi semeada.

No meio da árvore, aí é que fica fácil roubar as sementes mesmo!

Ótima postagem!

Anderson Muller disse...

Ola!
Paz!

Muito bem elaborado seu post, retrata bem o que vem sendo a realidade do pseudocristianismo que se apresenta!!!

Se tiver tempo acompanhe meu blog tbm, estarei acompanhando este.

Que Deus lhe de sabedoria!!!!
paz

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...