segunda-feira, junho 22

A importância de Israel para a Igreja!


“Naquele dia, farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos; todos os que a erguerem se ferirão gravemente; e, contra ela, se ajuntarão todas as nações da terra”. (Zc 12.3)

Há muito tempo, a Igreja negligencia a importância de Israel para o próprio Cristianismo. Desde que a Igreja promulgou a teologia da substituição, alegando que a negação da nação judaica acerca de Jesus ser o messias esperado por Israel encerrou as bênçãos de Deus sobre Israel, instalou-se o erro em nosso meio.
Israel e a Igreja são dois povos diferentes! O primeiro deles posto em ciúmes por causa do segundo. O segundo, reunido por causa da rebeldia do primeiro.
É claro que a interação entre os dois povos não termina por aí. Só existem duas vindas do messias graça a ignorância de Israel em reconhecê-lo.
Sendo assim, sua primeira vinda foi marcada pela atitude do servo sofredor, da ovelha muda, do cordeiro de Deus. Sua segunda vinda será em poder e glória, exercendo justiça com pulso firme, típico do leão da tribo de Judá. Os judeus só compreenderam a segunda vinda do messias e por isso não reconheceram o servo sofredor.
A Parábola do bom samaritano é de fundamental interpretação! O Bom samaritano é Cristo, negligenciado pelo seu próprio povo; o homem jogado no meio do caminho é uma representação clara de estado de Israel e o estalajadeiro é uma clara representação da Igreja, cuidando de Israel e de todos os demais até que Ele volte.
A existência de Israel é importantíssima para o Cristianismo, mas não estamos preocupados com o destino daquelas pessoas que negaram o próprio Cristo, muito embora, a escritura seja clara que a posição que tomamos com relação a Israel define se estaremos em benção ou maldição,
“Abençoarei aos que te abençoarem, e amaldiçoarei àquele que te amaldiçoar...”. (Gn 12.3)
Em nossos dias, a posição mundial é clara! Israel está abandonado ao largo no meio do caminho, o EUA retirou sua mão protetora sobre Israel. As notícias sobre aquele pequenino país aumentam, gradativamente, dia após dia, conforme as próprias escrituras afirmaram de antemão que seria.
A Igreja deve olhar para Israel, pois ele é o ponteiro de Deus no relacionamento humano.
Se Israel deixar de existir, Deus torna-se mentiroso!
“Assim diz o SENHOR: Se puderdes invalidar a minha aliança com o dia e a minha aliança com a noite, de tal modo que não haja nem dia nem noite a seu tempo, poder-se-á também invalidar a minha aliança com Davi, meu servo, para que não tenha filho que reine no seu trono; como também com os levitas sacerdotes, meus ministros”. (Jr 33.20-21)
As profecias bíblicas são claras! O Messias retorna da mesma forma que subiu, pisará novamente no monte das oliveiras, terra de Israel. Governará o mundo a partir de Israel e se assentará no Trono de Davi. Dessa forma, fica claro que a nação de Israel deve existir!
Sabemos que nos últimos dias, ocorrerá um grande cerco contra Israel no intuito de destruí-lo, aniquilá-lo e torná-lo estéril, contudo, no último momento Cristo, retorna para salvar seu povo de forma sobrenatural. Pois bem, tais relatos referem-se ao final do período da tribulação!
“Importa que façamos as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; vem a noite, quando ninguém pode trabalhar.” (Jo 9.4)
A Igreja está se aproximando no final da corrida de revezamento, passando o bastão para Israel para que se inicie a última semana de Daniel, o período conhecido como tribulação, do qual não participamos, pois é referente ao tratamento de Deus com Israel e as nações. Não participamos dele! O arrebatamento ocorrerá antes que a última semana profetizada por Daniel ocorra.
Ora, se estamos às portas do arrebatamento, semelhantemente, a um corredor que pela proximidade da linha de chegada esforça-se em dar de si, o que quer que ainda exista, de forçar nervos, músculos e coração num “sprint”* final para alcançar a linha de chegada, deveríamos estar agindo de forma semelhante a Cristo, tornando-se padrão de conduta; esforçando-se em favor do próximo, esmerando-se em ser a imagem dEle, reunido em prol de um único objetivo porque aquele dia se aproxima. Que possamos fazer conforme as escrituras aludem:
“Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima.” (Hb 10.25)
* Aceleração de um corredor ao aproximar-se do ponto de chegada
Creative Commons License
Este texto está licenciado sob uma Licença Creative Commons.
Postado por Ricardo Inacio Dondoni

4 comentários:

Guest disse...

Junte-se a nós para restaurarmos as raízes judaicas da fé cristã, a Igreja do Primeiro Século. Registre-se em HaDérech: http://solascriptura.ning.com

rodrigo disse...

O titulo deveria ser "A importância da Igreja para Israel."

O PENSADOR disse...

Na realidade ao ler o texto da postagem fica sem sentido o título proposto...

Anônimo disse...

O título faz jus ao texto, uma vez que o autor preza pela valorização do Estado de Israel como parte da História do Cristianismo, porquanto é Bíblico suas implicações com a vida da Igreja. De qualquer forma, o título pouca diferença faz quando o objetivo do texto é que se entenda o conteúdo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...