sábado, maio 31

Religião Inaceitável...



Qual seria a religião inaceitável para com o nosso Deus? Seria aquela que é legalista! Uma religião de conhecimento, mas não de prática. Uma religião onde a sabedoria das palavras são mais bem vistas do que a simplicidade das ações. Não quero dizer com isso a máxima católica da salvação pelas obras, mas sim, concordar com Tiago afirmando que uma fé que não produz ações e mudança de vida, não pode ser uma fé saudável. Aliás, nem a posso considerar fé!
Cristo foi enfático sobre o assunto ao acusar os fariseus, os doutores na lei, conhecedores do modo correto de caminhar perante Deus. Eles sofreram as mais duras acusações, pois conheciam a verdade, mas ao invés de praticarem aquilo que conheciam, somente impunham sobre seus ouvintes, como se eles mesmos estivesses num patamar diferente do povo, não necessitando seguir nada daquilo que professavam serem as fiéis ordenanças de Deus.
Este tipo de religião farisaica é insuportável para Deus! Quantas de nossas igrejas não estão inseridas dentro deste contexto farisaico, não pela Igreja em si, mas através dos membros que a formam?
O que temos vivido? A palavra? Ou dela só tecemos comentários? Por mais triste que seja, não precisamos ir muito longe para descobrir este fariseu, que caminha confiante perante Deus e dentro de nossas igrejas. Em alguns casos, este fariseu está mais próximo do que pensamos. Às vezes, quem sabe, ao olhar para o espelho, eu mesmo e até você, não nos deparemos com o fariseu que habita dentro de nós. Conhecedores da verdade, sim! Praticantes? Bem menos do que gostaríamos de ser. As desculpas para isso são inúmeras, mas uma vez identificado este fariseu que habita dentro de nós, será que qualquer desculpa é suficiente para negligenciarmos o reto proceder somente para satisfazer e mantê-lo vivo dentro de nós? De maneira alguma! Se aceitamos a graça salvadora de Cristo, devemos fazer morrer a nossa natureza carnal, nem que para isso seja necessário exterminar este fariseu!
Ninguém deve impor a ninguém uma mudança instantânea, mas alguma mudança, por mais singela que seja, deve ocorrer. Passar de ouvinte a praticante é, sem dúvida, um salto extraordinário, que requer muito mais do que simples vontade própria. É necessário que deixemos Cristo tocar em nossos corações de uma forma mais profunda ainda do que ele tem tocado. É necessário atingir um novo grau de intimidade, uma maior renúncia ao senhorio de Cristo, uma subserviência maior e uma fidelidade melhorada.
Somente desta forma sairemos da religião inaceitável para aquela que é aceitável a Cristo!
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

2 comentários:

Sissi A. disse...

oi pensador...
muito interessante e correto teu ponto de vista ou teu pensamento.(rs)
Concordo com vc.
Ultimamente tenho chegado a seguinte conclusão, que se Jesus e seus discipulos vivessem nos dias atuais acho que muitas igrejas não o aceitariam. Concordas ou não?
um abraço e promessas de mais visitas.
Síssi aguiar

O PENSADOR disse...

Obrigado pelos comentários.

...e infelizmente, para mim, a afirmação chave de todo questionamento a respeito de nosso tempo você escreveu muito bem. Digo infelizmente porque nenhum de nós tem prazer em afirmar isso, mas as vezes é só o que vemos, com raríssimas exceções. Que sejamos as exceções e qeu estas exceções aumentem, pela graça e misericórdia dele.

Um abraço...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...