quinta-feira, novembro 2

Evolução, (In)volução ou Criação?

Falemos um pouquinho sobre a teoria da evolução, ..., pena que metade da população cristã creia nela.
Apesar das escolas e das instituições aprovarem a teoria da evolução, esta nunca foi comprovada. A tal teoria nunca deixou de ser uma tese, como poderemos ver ao longo do texto:
Para que tenhamos uma teoria é necessário que sejam cumpridas certas regularidades, como por exemplo, a existência de uma antitese para confrontá-la. Contudo, ela simplesmente foi aceita sem ser questionada. Tornou-se verdade universal.
É interessante verificarmos que o Homem, o ser mais questionador na face da terra, exige provas inquestionáveis sobre a existência de Deus, mas sobre a questionável teoria da evolução, aceita-a com naturalidade.
Teoria científica é o nome dado ao sistema organizado de idéias e conceitos que explicam um conjunto de fenômenos (ou leis) que podem ser testados por meio de experiências reprodutíveis. Uma teoria científica é o maior grau de comprovação que uma hipótese pode alcançar, sendo considerado o conhecimento atual mais seguro sobre o tema que trata.
Existem basicamente três níveis para se definir a validade de uma afirmação dentro do conhecimento científico. O mais básico é a hipótese. Quando essa hipótese passa a ser suportada por fatos ainda sem ser confirmada por pesquisas independentes, passa a ser considerada uma tese (atualmente esse termo está em desuso, sendo uma etapa muitas vezes suprimida). Por último surge a teoria. Para se estabelecer como teoria as suas evidências devem ser comprovadas pelo crivo do Princípio da Falseabilidade postulado por Karl Popper.
A Falseabilidade (ou refutabilidade) é um conceito importante na filosofia da ciência (epistemologia). Para uma asserção ser refutável ou falseável, em princípio será possível fazer uma observação ou fazer uma experiência física que tente mostrar que essa asserção é falsa. Por exemplo, a asserção "todos os corvos são pretos" poderia ser falsificada pela observação de um corvo vermelho. A escola de pensamento que coloca a ênfase na importância da Falseabilidade como um princípio filosófico é conhecido como a Falseabilidade. Toda teoria científica deve ser formada usando a lógica, principalmente por processos de dedução e algumas vezes por indução baseando-se nas evidências que sustentam a sua afirmação. Para a validação de qualquer teoria, é absolutamente necessária a existência de um ou mais experimentos reprodutíveis que a sustente. A ausência de experimentos ou da sua reprodutibilidade (o que implicaria que o princípio da falseabilidade não foi satisfeito) impede que qualquer hipótese possa alcançar o nível de teoria.

O Texto abaixo, extraído do site TERRA, mostra nas suas entrelinhas a complexidade de crermos numa teoria da evolução. E a grandiosidade de fé que temos que ter suportar esta crença.


Crânios de 9,5 mil anos são encontrados na Síria


Segunda, 25 de setembro de 2006, 10h08
(Notícia Veiculada no Terra)

“Arqueólogos disseram ter descoberto crânios humanos de até 9,5 mil anos, na capital Síria de Damasco. ‘Os crânios têm entre 9,5 mil e 9 mil anos de idade e são decoradas com máscaras de argila e pintadas para acentuar as feições’, disse Danielle Stordeur, chefe da missão conjunta entre França e Síria.
Achadas em um cemitério perto de uma vila pré-histórica, as cinco caveiras foram encontradas juntas em uma cova, sob os restos de uma criança, disse Danielle. A arqueóloga francesa descreveu como "extraordinário" o achado do sítio de Tell Aswad, do período neolítico.
A descoberta não foi a primeira do tipo no Oriente Médio, mas ‘o realismo dessas caveiras é assustador’, disse Danielle enfaticamente. ‘É impressionante a regularidade e suavidade das feições. Os olhos estão fechados, o nariz é fino e tem até detalhes nas narinas’. As caveiras decoradas eram feitas ‘somente para indivíduos importantes, escolhidos de acordo com critérios sociais ou religiosos’,Completou”.

Leia esta notícia no original em:
Terra - Notícias - Ciência e Meio Ambiente
http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI1156490-EI295,00.html
Continuemos a ler o texto pelos olhos da ciência...
O Homo sapiens (forma como os cientistas rolutam os homens atuais) surgiu há aproximadamente 150 mil anos atrás, de acordo com os cientistas é claro, possivelmente na África, como resultado de adaptações de Homo Erectus ao meio em que eles viviam. Desde então o Homo Sapiens vem evoluindo e aumentando seu número cada vez mais, extinguindo todas as espécies que se opunham a ele, se tornando o "animal" dominante do planeta.
A "Invasão Humana" tem inicio há 100 mil anos atrás, com uma grande erupção de um vulcão que afetou todo o planeta, somente cerca 10 mil Homo Sapiens sobrevivem e junto com isso tem -se inicio a uma nova era glacial, na qual torna difícil a vida na África e há cerca de 70 mil anos atrás o Homo sapiens chegou no Oriente Médio, há 50 mil anos atrás na Ásia e tem-se inicio o processo de extinção do Homo Erectus, há 40 mil anos atrás o Homo Sapiens chega na Europa e lá fica conhecido como Homem de Cro-Magnon, há 35 mil anos atrás entra em contato com o Homem de Neandertal, tem-se inicio uma série de conflitos os quais quase sempre o Homo Sapiens vence, há 28 mil anos atrás a população de Homens Neandertais diminui drasticamente e há 27 mil anos atrás os Homens Neandertais são extintos.
O Homo Sapiens continua sua dominação do planeta extinguindo diversas espécies e infestando o planeta. Há 20 mil anos atrás se tem inicio uma nova Era Glacial e forma-se uma ponte de gelo entre a Rússia e o Alasca e há 15 mil anos atrás o Homo sapiens chega a América do Norte, entra em contato com novas espécies e o mesmo ocorre com elas (entram em processo de extinção), há 13 mil anos atrás o Homo sapiens chega a América do Sul e ocorre a extinção de diversas espécies animais americanas e entre elas está o Mamute, o Tigre-dentes-de-sabre, o Mastrodonte,etc. Os Homo Sapiens que ficaram no Oriente Médio nessa época começavam a praticar a agricultura e posteriormente tem-se inicio as construções e os grandes impérios, enfim a “História começa”.
A ciência afirma que o homem é um macaco desenvolvido que tem sua origem aproximada em 4,5 milhões de anos atrás (primeiro antepassado do homem). Até chegarmos a data de 13mil a.C. não temos avanços significativos. São mais de 4,4 milhões de anos vivendo uma vida sedentária sem sentido. De acordo com os historiadores a 13 mil anos a.C. o homem começou a usar o cérebro para algo produtivo.
Como podemos ver na foto, as feições do homem não parecem ter evoluído nada e 9.500 anos. Ou seja, nenhuma mudança física em 95 gerações, contando que cada uma tenha vivido uma média de 100 anos. É uma evolução que não evolui pelo menos há muito tempo.
Até a coitada da barata é tida como umas das criaturas mais antigas do mundo, o problema é que a tese da evolução não olha para esses pontos. Estes questionamentos ficam a margem do conhecimento sem serem discutidos. Por que falseiam sua própria tese.
Eu, realmente poderia ficar em dúvida se acaso fosse pregada uma teoria da (“In)volução” (grafia própria),ao invés da Teoria da Evolução. Pois o que mais temos visto é a extinção de alguns seres vivos, devido ao aumento da temperatura global entre outros fatores climáticos e não-climáticos. O que vemos é uma adaptação às condições do planeta. A própria tonalidade da pele humana está ligado a incidência de raios solares sobre a mesma. O que a ciência afirma existir, se é que existe, não passa de uma adaptação ao meio ambiente.
Tudo o que temos e tudo o que somos segundo o pensamento científico dá-se desde 13 mil anos atrás. A Bíblia afirma que este dado gira em torno de 6 mil anos atrás.
Pelo princípio da falseabilidade facilmente derrubamos a tese da evolução.
Olhando pelos olhos da Bíblia...
A bíblia afirma que logo no inicio da criação, os filhos de Caim aperfeiçoaram-se em toda cultura, criando artes, música, armas, construções, entre outras coisas citadas em Gênesis capítulo 4. A região da Síria é conhecida biblicamente como a região onde foram fundadas cidades pelos descendentes de Caim, são elas Ninrode e Nínive. Ali se desenvolveram todos os tipos de cultura. Neste, o relato da arqueóloga não difere do bíblico, como podemos averiguar através da presença de uma máscara de cerimônia feita com detalhes que exaltavam uma perfeição facial excelente para a época. Basta compararmos com a Idade Média onde as máscaras cerimoniais eram feitas como ornamento para dança e tinham pouca expressão humana.
A Ciência afirma um desenvolvimento muito lento do homem. Comparando aos dias atuais, verificaremos que dos 4,5 milhões de anos de existência do homem somente 0,3%, 13 mil anos, da existência humana, seguindo a ciência, estão relacionados ao desenvolvimento da inteligência e sabedoria. É muita massa cinzenta desperdiçada, 99,7% de nossa existência.
Não creio que a ciência esteja certa, até porque para ela a verdade sempre foi subjetiva. A verdade continua sendo verdade até que algo maior que ela se torne verdade acima dela.
Biblicamente, a verdade é imutável e ela é uma só. Deus criou todas as coisas que existem, inclusive o Homem. É preciso muita fé para crer que algumas moléculas aleatórias vieram a se chocar criando corpos unicelulares, que por sua vez sofreram evolução transformando-se em pluricelulares (coisa que alguns cientistas andam afirmando ter sido impossível de acontecer) gerando a vida em um planeta aleatório, a uma distância aleatória de uma estrela. Convenhamos, é muita fé! Mas do que a que Cristo pede de nós. Até a teoria de Luis Pasteur, amplamente aceita por todos os cientista, diz que vida só pode originar-se de vida, não há como um organismo morto gerar vida por si só. Lei da pasteurização.
O que é a teoria do Big Bang? Existia uma massa negra que sem vida nem forma que começou a se comprimir, comprimir (pelos motivos inexplicáveis, é claro) até que tudo, do nada, explodiu gerando vida de onde não existia vida. Loucira! Crêem nas leis de Pasteur mas não a aplicam!
Existe uma maça podre nesta tese da evolução, o próprio biólogo francês Louis Bounoure escreveu: “Diz o ex-professor de zoologia da Sorbonne Yves Delage: Eu admito prontamente que jamais se viu uma espécie gerar outra, e que não há nenhuma evidência absolutamente definitiva de que tal coisa tenha acontecido. Apesar disso, minha crença na evolução é tão grande quanto seria se ela tivesse sido objetivamente provada. Em suma, o que a ciência pede de nós aqui é um ato de fé, e é, de fato, sob a forma de uma espécie de verdade revelada que a idéia de evolução normalmente é exposta”.
Se crer na tese da evolução é uma questão de fé, prefiro aplicar minha fé nas palavras daquele que tem capacidade para cumprir o que promete e não um homem qualquer como Charles Darwin.
Creio na Bíblia e me pergunto de quem eram aquelas máscaras? E por que foram feitas?
As perguntas, com o tempo perdem seu valor, mas fica a indelével marca na história. Surgiram máscaras perfeitas, numa época próxima ao que a Bíblia afirma ter dado início à vida humana. Segundo a Bíblia fomos criados com capacidade de pensar, já éramos inteligentes a ponto de criarmos cidades, artes, agricultura, pecuária e também, porque não, máscaras. Se a ciência resolveu cair no campo da fé, conseqüentemente entrou no campo da Bíblia. E contra a Bíblia não há argumentações contrárias válidas, ela é a historia tecida pelo próprio autor da vida.
Quanto às máscaras, é possível que pertencessem aos descendentes de Caim.
Um dia, quem sabe, descobriremos, ou talvez, nem nos importe mais sabê-lo...

Leia esta notícia no original em:
Terra - Notícias - Ciência e Meio Ambiente

2 comentários:

Anônimo disse...

Você percebe que você contradiz anos e anos de pesquisas científicas, inclusive a da Teoria da Evolução, aceita por pessoas totalmente coerentes e renomadas, inclusive religiosos, concientes de que é de fato a mais comprovada.
Se você é muito apegado as afirmações de um livro chamado "A Bíblia', (como parece), deveria procurar um vídeo em http://videos.google.com chamado Zeitgeist (inclusive existe uma versão com legendas em português).
Como você parece ser um grande analisador e muito imparcial, talvez o documentário seja de bom uso para você.

O PENSADOR disse...

O objetivo deste texto é fazer-nos refletir sobre as questões anteriormente levantadas, agora, com um ótica renovada pelas novas informações acrescidas, ou ainda, com aquelas que são ocasionalmente deixadas de lado.

Para crer no evolucionismo é preciso ter tanta fé quanto crer na Bíblia. Vejo que você prefere crer no evolucionismo.

Existem vários sites, com qualidade infinitamente superior ao meu, capazes de lhe proporcionar informações melhores quanto ao criacionismo do que o meu.

Quanto as afirmações da bíblia, para mim são todas verdadeiras, e nelas não há "inverdade".

Infelizmente, você aparentemente não crÊ nela, não por causa de Deus mas sim por causa do homem que deturpa a palavra e prega em benefício próprio. Se por um minuto esquecer dessas coisas para procurar com inteireza pela resposta da Bíblia encontrará a mesma verdade que eu.

Já fui um descrente, hoje não!

Analisei o vídeo e é um trabalho desesperado para tornar a Bíblia mentirosa.

"Somente o homem que precisa que a Bíblia seja mentirosa e que Deus não tenha existido é que prega que o mesmo não existe".

Não falo a seu respeito, mas sim, sobre este que proporcionou este vídeo...

No mais um abraço, obrigado pelas colocações e pelo vídeo, mas de fato já tinha conhecimento de outros vídeo do tipo que em nada abalaram minha fé...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...