quarta-feira, fevereiro 17

Judas 08-10 (Uma Advertência Interposta)

“Ora, estes, da mesma sorte, quais sonhadores alucinados, não só contaminam a carne, como também rejeitam governo e difamam autoridades superiores. Contudo, o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo e disputava a respeito do corpo de Moisés, não se atreveu a proferir juízo infamatório contra ele; pelo contrário, disse: O Senhor te repreenda! Estes, porém, quanto a tudo o que não entendem, difamam; e, quanto a tudo o que compreendem por instinto natural, como brutos sem razão, até nessas coisas se corrompem. ”.
Os versículos 9 e 10 tencionam explicar o que o versículo 8 põe-se a discutir: a contravenção das ordenanças divinas.
Judas relembra aos seus contemporâneos que alguns dentre eles estavam agindo de forma contrária àquilo que era ensinado. A palavra usada para descrever “os sonhadores” é encontrada duas vezes nas escrituras, sendo a primeira delas em At 2.17 e, posteriormente, encontrada em Jd 1.8.
Seu primeiro uso é positivo e refere-se a uma inspiração divina. Seu segundo emprego é negativo e sugestiona o uso de imagens que enganam e conduzem à perdição, como se  algumas pessoas estivessem, em seus próprios intentos, inventando outro evangelho, através de supostas revelações ou, ainda, sendo sugestionados por quaisquer outras fontes espirituais, mas não divina. Dessa forma, Judas inicia o versículo atacando, vorazmente, aqueles que se conduziam no erro.
Cabe a nós, seus ouvintes tardios, relembrar que o tempo do fim se caracteriza não só pela deturpação total dos princípios bíblicos, como também o forte ataque a ordem natural das coisas indo contra as metas para as quais foram criadas.
As expressões “não só... como também” revela um assustador desprezo e descumprimento das ordenanças divinas, desconsideradas em prol dos valores humanísticos. 
Judas relembra a seus ouvintes que a ordem natural das coisas foi estabelecida por Deus e, inclusive, os principados e as potestades devem obedecê-las. Sendo assim, até mesmo o arcanjo Miguel, quando contendia a respeito do corpo de Moisés, sabedor da autoridade designada por Deus a Satanás, que permanece com ele até que seja definitivamente julgado (Ap 12.10), não ousou menosprezar seu adversário. 
Miguel, ciente da posição hierárquica superior de Satanás, não zombou dele. No entanto, homens que são incapazes de enxergar o mundo espiritual em sua completa realidade, ignoram a ordem natural da criação e os irrefutáveis princípios morais implantados por Deus. Estes, por assim proceder, acabam por se corromper nestas coisas afastando-se mais e mais da autoridade de Deus, tendo como deus seus próprios ventres, aos quais obedecem cegamente. Indo de impulso a impulso, sendo escravos de seus próprios desejos, julgando como correto todo o procedimento que nasce de seus enganosos corações, menosprezando a própria consciência, que os alerta acerca do perigo de negligenciar as  ordenanças divinas.
Por fim, no presente século, as diretrizes divinas são desconsideradas pelos homens,  que estão buscando a satisfação de seus próprios desejos em detrimento do seu próximo, da ordem natural da criação e dos irrefutáveis princípios morais implantados em todo ser vivente, motivo pelo qual não restará nada a não ser, a realização do juízo divino pelo reto juiz.
Judas que, até o presente momento, nada havia escrito, por julgar desnecessário qualquer palavra extra acerca da doutrina pregada pelos apóstolos, se vê sem alternativa diante do quadro que seus olhos observavam: “O vislumbre da apostasia!”. Era imprescindível alertá-los!
De igual modo, como vivemos o evangelho no presente século? Em base de sonhos, revelações mediúnicas, profecias enganosas? Retirando das escrituras a autoridade que lhe é inerente para entregar a falsos pregadores, pastores, profetas e mestres que enganam e são enganados? O que fazemos a respeito da veracidade das escrituras define o tipo de cristão que somos, bem como, o local para o qual tencionamos caminhar. 



Creative Commons License
Este texto está licenciado sob uma Licença Creative Commons.
Postado por Ricardo Inacio Dondoni

3 comentários:

Francikley Vito disse...

Dois pontos aqui: Primeiro, devemos lembrar do princípio de autoridade espiritual; afinal o mundo material e regido pelo mundo espiritual; e segundo, devenmos lembral que as Escrituras é a verdade de Deus para todos os tempos. Um abraço.

THE BIG OBSERVADOR disse...

sera que judas estava a pensar em que nos pensasemos que ele seria como o pintam e nao uma pessoa boa com uma missao defenida bem jajam feliz semana

O PENSADOR disse...

Francikley,
assino em baixo...

Observador,
eu acho que acabei não entendendo bem o que quiz dizer, ..., perdoe-me se não o compreendi, mas talvez estejamos falando de dois Judas diferentes, ..., este sob o qual teço comentário foi irmão de Tiago e não Judas Iscariostes, quem traiu Jesus... no mais uma boa semana para você também...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...